Empresário, Evite a Falência da Sua Empresa

Caro leitor, este texto surgiu com a intenção de tentar indicar a direção que você deve seguir, e ajudar empresas que estejam passando por dificuldades. Não é possível enumerar todas as causas de falência de empresas, não seria possível apresentar fórmula pronta para que sua empresa dê certo.

Cada empresa tem seu ramo de atuação, tem suas propostas de atuação e tem suas dificuldades. Portanto, o intuito deste artigo é enumerar algumas situações que podem lhe ajudar a evitar que sua empresa feche. Com base nos dados do IBGE, nos últimos 3 anos, mais de 340 mil empresas fecharam, e estes números por si já são preocupantes, sem mencionar a quantidade de postos de trabalho fechados, por conta destas empresas que infelizmente fecharam.

  • Primeiro ponto a ser observado é que sua empresa deve ter um planejamento. Administrar todos os pontos possíveis, deve-se ter metas alcançáveis, disciplinar as receitas da empresa (tudo que entra no caixa e tudo que sai), ter visão a médio e longo prazo, e além de tudo, ter um plano de negócios que antecipe os possíveis riscos, para que você e sua empresa ajam preventivamente.
  • Tendo um planejamento bem formado, o segundo passo é identificar os possíveis erros que estejam acontecendo. A gestão da empresa deve estar atenta ao planejamento montado, analisando a compra e venda, analisando a sua carteira de clientes, sempre buscando sanar as deficiências.
  • Encontrando erros, o melhor a ser feito é tratar o problema desde o início, não se deve permitir que o problema se transforme em algo maior por não o ter resolvido no início. Se você identificou que contratou um funcionário de forma irregular, busque corrigir o erro antes que este erro se transforme em uma reclamação trabalhista.
  • Tenha contratos bem feitos e que obedeçam às normas vigentes, seja com fornecedores, seja com clientes, seja com seus funcionários. Contratos irregulares podem trazer grandes prejuízos para sua empresa.
  • Se estiver com dívidas, não espere ser cobrado, tente a renegociação com o credor. Mostrar que você está disposto a pagar e apresentar renegociação é melhor que ficar em silêncio e esperar ser cobrado. Sua empresa não pode perder a credibilidade frente a seus fornecedores. Quando for apresentar renegociação, apresente método de pagamento que você e sua empresa conseguirá cumprir, o foco é manter sua empresa e sua credibilidade.
  • O relacionamento com o cliente é um importante ponto que deve ser observado pelo gestor. Algumas empresas não tem o costume de treinar seus funcionários, que irão trabalhar com atendimento ao cliente (ex: vendas). O seu funcionário precisa entender como deve atender os clientes, pois os clientes são peça fundamental para o sucesso da empresa. O cliente que compra pela primeira vez e fica satisfeito com o atendimento e produto, ele tem mais chances de voltar.
  • Tenha uma equipe de profissionais qualificados para lhe auxiliar na gestão da sua empresa. Para gerenciar uma empresa é necessário que todos os colaboradores estejam alinhados, e com o mesmo pensamento: crescimento sustentável da empresa. Portanto, tenha profissionais qualificados para lhe auxiliar.
  • Caso sua empresa esteja em situação crítica e você não tenha outras opções, analisa a possibilidade de solicitar a Recuperação Judicial para sua empresa. Esta é uma ferramenta instituída pela Lei nº 11.101/2005, que visa auxiliar as empresas que não estão com capacidade de sanar suas dívidas. Para realizar este procedimento, faz-se necessário uma equipe de profissionais que vão realizar toda a formalidade exigida pela Lei, para que possa proporcionar a reestruturação da empresa.

Não deixe a crise chegar na sua empresa para que você procure ajuda profissional. Nestes e em outros casos, procure escritório qualificado para ajudar sua empresa a crescer.

 

 Por Dr. Rodrigo Coêlho – Márcio Beckmann Advogados Associados

Deixe um comentário